O Complexo Dulombi-Boé-Tchétché

O Complexo Dulombi-Boé-Tchétché apresenta uma superficie de 406 556 ha constituído por dois parques nacionais e três corredores faunísticos. O seu ecossistema terrestre sob intensa pressão é caracterizado por zonas de florestas húmidas densas e semi-densas intercaladas por savanas de vegetação alta e arborizadas, florestas de galeria e palmeiras que se tornaram refúgios cruciais para uma grande variedade de fauna animal. O Complexo oferece refúgio a muitos mamíferos emblemáticos de grande e médio porte, elefante-africano, hipopótamo, elande, chimpanzé, leopardo e leão. Tambem são observados diferentes espécies de répteis, tais como o crocodilo do nilo, diferentes espécies de antílopes, Oribis entre outros, bem como pequenos predadores como o texugo do mel, o lince africano, o serval e o cão selvagen. A lagoa Wendu Tcham localizada no Parque Nacional de Boé foi classificada em 2014 sítio Ramsar.